Prefeitura Municipal de Vitória

Atalhos de teclado:

Acesso rápido


Artesanato

O artesanato capixaba foi catalogado pela primeira vez em 1982. De lá pra cá, apesar de algumas mudanças, a grande variedade de produção artesanal do Estado se manteve: tecelagem, cerâmicas, fibras e trançados, objetos em coco e madeira são alguns exemplos, além dos trabalhos com conchas e sementes.

Inúmeras particularidades marcam o artesanato capixaba e, consequentemente, a cultura do Estado. Só o Espírito Santo tem o congo, tradição viva nas vozes do povo e no som da casaca. Já Vitória é a cidade que se destaca na produção das panelas de barro, a partir da técnica secular que as mulheres da região de Goiabeiras herdaram dos índios.

Assim se constrói a identidade do povo capixaba, firmada em tradições que vieram dos colonizadores portugueses, dos imigrantes de diversas áreas da Europa e também de tradições africanas.

Panela de barro

Vitor Nogueira

Mãos moldam panela de barro

A produção artesanal de panela de barro é uma das maiores expressões da cultura popular de Vitória e do Espírito Santo. A técnica na produção, assim como a estrutura social das artesãs, pouco mudou em mais de 400 anos, desde quando era produzida nas tribos indígenas. Anualmente essa tradição é celebrada, com a Festa das Paneleiras.

Nos últimos séculos esse trabalho sempre garantiu a sobrevivência econômica de famílias. As artesãs estão vinculadas à Associação das Paneleiras. A maioria delas trabalha em um galpão em Goiabeiras. O galpão tem 32 cabines, todas com bancada, armário e prateleiras individuais. No segundo piso, existe uma  área que permite aos visitantes visualizarem todo o trabalho nas cabines e ainda proporciona uma visão incrível para o mangue.

Para fazer as panelas, as artesãs retiram a argila do Vale do Mulembá, local situado no bairro Joana D'Arc, na Ilha de Vitória. Do manguezal que margeia a região de Goiabeiras é extraída a casca da Rhysophora mangle, popularmente chamada de mangue vermelho. Essa casca permite extrair a tintura impermeabilizante de tanino, com a qual são açoitadas as panelas ainda quentes.

Por tradição as autênticas Moqueca e Torta Capixabas, dois pratos típicos regionais, devem ser servidos nas panelas de barro.

Saiba mais

Onde fica o Galpão das Paneleiras

Endereço: Rua das Paneleiras, 55, Goiabeiras - Ver no mapa

Horário de funcionamento: de segunda a sábado, das 8 às 18h e domingos das 9h20 às 15h

Mais informações: (27) 3327-0519

Última atualização em 20/12/2016

Voltar para o topo

Loja do Artesanato Capixaba

André Sobral

Loja Artesanato Capixaba

(Ampliar imagem)

André Sobral

Loja Artesanato Capixaba

(Ampliar imagem)

A Loja do Artesanato Capixaba está localizada no segundo piso do Shopping Vitória, na Enseada do Suá. No local, os visitantes podem encontrar o que, de fato, é da raiz do Espírito Santo.

 O estabelecimento é uma parceria entre a Prefeitura de Vitória, o Governo do Estado, o Sebrae-ES e o Instituto Panela de Barro.

Onde fica:
Avenida Américo Buaiz, 200, Enseada do Suá - Ver no mapa
Shopping Vitória – 2º Piso
Telefone: (27) 3345-2614

Horário de funcionamento:
Segunda a sábado, das 10h às 22h
Domingos e feriados, das 15h às 21h

Última atualização em 12/01/2017

Voltar para o topo

Artes na Praça

Elizabeth Nader

Mulher Escolhendo bonecas na Feira de Artesanato na Praça dos Namorados

Nos finais de semana, a praça dos Namorados abriga a tradicional Feira de Artesanato Artes na Praça, que oferece artesanatos e comidas típicas, além de shows artísticos.

 O programa Artes na Praça, hoje sobre a responsabilidade da Secretaria Municipal de Turismo, Trabalho e Renda, existe há aproximadamente 30 anos. Sua criação oficial, no entanto, ocorreu por meio da Lei nº 5.759, de 23 de outubro de 2002.

 O objetivo do programa Artes na Praça é valorizar o trabalho dos artesãos capixabas e incentivar a produção local, proporcionando a vários empreendedores da Grande Vitória a oportunidade de comercializarem seus produtos.

 Hoje, o programa Artes na Praça conta com a participação de cerca de 200 expositores autorizados, atuando nas áreas de alimentação, artesanato, trabalhos manuais, produtos manufaturados e brinquedos de diversão.

 Atualmente, ainda, quem tem o desejo de se inscrever para ser expositor no programa Artes na Praça participa de um processo de seleção anual, que é divido em dois períodos. A primeira seleção acontece no mês de maio e, a segunda seleção, no mês agosto.

É possível encontrar objetos de decoração, tapetes, almofadas, esculturas em metais e pedras, entre outros produtos. Também há roupas de cama, mesa e banho bordadas e pintadas a mão, bolsas e calçados confeccionados de forma artesanal, assim como jóias e bijuterias feitas em pedras, metais e fios.

Na parte de alimentos, os expositores oferecem uma diversidade de doces e salgados. São vendidas desde as típicas comidas capixabas, como a famosa torta capixaba, até os quitutes tradicionais de praça, como bolos, docinhos, cachorro-quente e pizzas, dentre muitas outras delícias.

Onde fica

Avenida Saturnino de Brito, 1075, Praia do Canto - Praça dos Namorados - Ver no mapa
Horário de funcionamento: sábados e domingos, das 18 às 22h

Última atualização em 06/04/2017

Voltar para o topo

Feiras Comunitárias

Arquivo PMV

Iluminação pública na praça em Jardim da Penha

Atualmente, há na capital 10 feiras regulares nas quais os expositores atuam nas áreas de alimentação, artesanato, trabalhos manuais, produtos manufaturados e brinquedos de diversão.

 As feiras comunitárias foram autorizadas no município pela Lei nº 8.297, de 22 de maio de 2012, decretos nº 15.580 e 15770, de 20 de agosto de 2013, tendo como base das decisões o Regimento Interno das Feiras Comunitárias Regionais do Município de Vitória.

 Quem tem interesse em se inscrever em uma feira comunitária deverá seguir as seguintes normas: pessoas que produzam artesanato, artes plásticas, produtos manufaturados, trabalhos manuais ou alimentação; e pessoas que trabalhem com brinquedos de diversão, tais como: cama elástica, pula-pula, piscina de bolas, castelo inflável e outros do gênero.

 Também podem participar pessoas que não possuam estabelecimento comercial fixo, mas caso seja comprovado pelo Comitê Local que o expositor, após sua inserção na feira, possua estabelecimento comercial fixo, o expositor será desligado da feira.

Ainda é aberto a participação de pessoas que não tenham funcionários que realizem na totalidade o trabalho de confecção dos produtos; pessoas que não tenham o mesmo domicílio de expositores já cadastrados na feira; e pessoas que não possuam cargo ativo nas esferas públicas municipal, estadual ou federal.

 Caso a pessoa interessada em participar da feira comunitária se enquadre dentro dessas normas deve procurar o presidente do Comitê Local

Última atualização em 30/03/2017

Voltar para o topo

Mercado Vila Rubim

Adriano Monteiro

stand de vendas de artesanato

Inaugurado em 1969, abriga diversas lojas, uma praça e um mezanino central. Lá se encontra o que há de mais tradicional e único em um mercado: temperos, ervas, artigos de umbanda, pescado, aves, carnes, aviamentos, pequenos animais, doces, roupas,  entre outros produtos.

O local é um patrimônio da capital e mostra que o novo, o tradicional e o antigo podem ocupar em harmonia o mesmo espaço.

Onde fica

 Rua Orlando Rocha, 92, Vila Rubim - Ver no mapa
Horário de funcionamento: de segunda a sexta-feira, das 8 às 18h e sábados, das 8 às 14h.

Telefoene: (27) 3222-7422 e 3222-2975

Última atualização em 12/01/2017

Voltar para o topo

Mercado Capixaba de Artesanato

Projetado pelo arquiteto Joseph Pitilick e construído para substituir o antigo mercado municipal, possui formas ecléticas e neoclássicas. Tombado em nível estadual, o prédio foi inaugurado em 1926. Oferece artesanatos em argila, palha, bambu, entre outros.

Onde fica

Endereço: Avenida Princesa Isabel, 245, Centro - Ver no mapa
Horário de funcionamento: de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 19h, e sábados, das 8 às 16h

Telefone: (27) 3322-6805

Última atualização em 20/12/2016

Voltar para o topo

Artesanato em cerâmica

Foto Divulgação

Peças decorativas em cerâmica com o convento da Penha

O artesanato de cerâmica em terras capixabas remonta ao tempo pré-cabralino. Estudos de sítios arqueológicos apontam que há mais de mil anos vários aborígenes já dominavam a técnica da arte em cerâmica.

Atualmente, são as paneleiras de Goiabeiras, em Vitória, que se destacam na produção do artesanato utilitário de barro. A matéria prima utilizada é obtida em Barreiros, uma região da cidade de Vitória.

Peças decorativas modeladas pelas ceramistas da cidade também podem ser encontradas e adquiridas pelos moradores e visitantes.

Mais Informações

Galpão das Paneleiras: Telefone: (27) 3327-0519 - Ver no mapa

Associação das Ceramistas do Espírito Santo/CERAMES - Telefone: (27) 3325-3979

Última atualização em 27/12/2016

Voltar para o topo

ACARTE - Associação Capixaba de Artesãos

Com a missão de resgatar, fortalecer, aprimorar, organizar, difundir e promover o Artesanato Capixaba e sintonizada com a tendência mundial pela qualidade, os artesãos têm procurado desenvolver seus produtos com a visão da qualidade total, buscando o aprimoramento de suas técnicas, de sua produtividade, mas sempre se mantendo fiel ao princípio do que o artesanato é uma arte feita com as mãos, o que faz com que cada peça seja única, diferenciada, carregando em si todo o encanto e magia do seu momento de criação.

Trabalhos em tecidos como ponto cruz, pinturas, patchwok, tecelagem entre outros são encontrados nas lojas da Associação Capixaba de Artesãos-  ACARTE.

Mais Informações

ACARTE: Telefone: (27) 3315-0174 e 3327-2855

Última atualização em 12/01/2017

Voltar para o topo

Prefeitura Municipal de Vitória
Avenida Marechal Mascarenhas de Moraes, 1927
Bento Ferreira, Vitória, ES - CEP: 29.050-945
Telefone: (27) 3382-6000 (Atendimento ao público de 12h às 19h)
Voltar ao topo do site