Prefeitura Municipal de Vitória

Atalhos de teclado:

Notícias

Alimentação balanceada e sem açúcar para crianças até 2 anos na rede municipal

Publicada em 08/02/2019, às 12h24 | Atualizada em 08/02/2019, às 12h24

Por Renata Moreira (rpmoreira@vitoria.es.gov.br) | Com edição de Matheus Thebaldi


Diego Alves

Merenda escolar

Crianças da rede municipal de ensino contam com uma alimentação balanceada (Ampliar imagem)

Os cardápios oferecidos a crianças de 6 meses a 2 anos nos Centros Municipais de Educação Infantil (Cmeis) não têm adição de açúcar nos alimentos.

Essa prática sempre foi adotada para os menores de 1 ano. Desde 2018, a Secretaria Municipal de Educação (Seme) iniciou o trabalho para redução do açúcar na alimentação servida às crianças de 1 a 2 anos e, em 2019, os cardápios já foram atualizados para essa faixa etária sem adição do item.

Dessa forma, bolos, sucos e vitaminas que compõem os cardápios dos pequenos são adoçados com as próprias frutas.

Os cardápios em Vitória são preparados por uma equipe de nutricionistas, acompanhados de perto pelo Conselho de Alimentação Escolar (CAE) e constituídos por diversos gêneros alimentícios.

A nutricionista Brena de Castro, da Coordenação de Alimentação e Nutrição Escolar da Seme, pontua que frituras, embutidos, refrigerantes, gorduras e balas não integram as refeições oferecidas aos alunos.

Ela salientou que há opções específicas para estudantes que apresentam alguma restrição alimentar, como diabetes e intolerância à lactose e ao glúten.

"Os cardápios são elaborados considerando a cultura alimentar local, prevendo pratos típicos da culinária e preparações especiais de acordo com as datas comemorativas", disse Brena.

Ajustes

Segundo Brena, quaisquer ajustes e encaminhamentos sobre a produção dos alimentos são tratados diretamente com cada unidade escolar, já que há fatores culturais envolvidos.

Recomendações médicas

De acordo com a pediatra Eneida Fardin Perim, que atua na rede municipal de saúde, a nutrição adequada é essencial nos dois primeiros anos de vida da criança, pois é fundamental para o seu desenvolvimento físico e mental, período no qual faz sua programação metabólica, a fim de prevenir a predisposição de doenças crônicas não transmissíveis, como obesidade, diabetes, hipertensão arterial, doenças cardiovasculares, dislipidemias, câncer, entre outras.

"A programação metabólica é o processo em que o estado nutricional e a alimentação da mãe durante a gestação e a amamentação, além da introdução correta de alimentos complementares para o bebê, exercem efeitos decisivos sobre o metabolismo, composição corporal e sobre sua fisiologia para sempre", disse a médica.

O período de introdução da alimentação complementar a partir dos seis meses é de elevado risco para a criança, tanto pela oferta de alimentos não saudáveis, quanto pelo risco de sua contaminação devido à manipulação e ao preparo inadequado.

O Ministério da Saúde e a Sociedade Brasileira de Pediatria recomendam as Práticas específicas para controlar o excesso de peso:

1) Manter aleitamento materno exclusivo até o 6º mês de vida da criança. Quanto mais tempo a criança mama no peito menor a chance de se tornar obesa.

2) Não oferecer açúcar, doces em geral, salgadinhos, refrigerante, refrescos artificiais, achocolatados, gelatinas e outras guloseimas antes dos 2 anos de vida. Essa prática estimula as crianças a preferir esses alimentos em substituição à alimentação básica.

3) A criança que come arroz, feijão, verdura e carne duas vezes ao dia não tem necessidade de ingerir doces, guloseimas e bebidas adocicadas.

4) Todos os dias a criança, ao completar 6 meses de idade, deve comer 2 frutas e uma porção (1 pires de chá) de verduras e legumes.

5) O consumo excessivo de leite de vaca está associado à obesidade entre crianças menores de 2 anos. O consumo deve ser limitado a 500ml por dia dos 6 meses aos 2 anos de vida. As crianças em aleitamento artificial não devem receber mamadeiras acrescidas de farinha, açúcar e achocolatado.

6) Alimentos ricos em gordura como frituras, bolachas recheadas, sorvetes, embutidos (salsicha, mortadela, linguiça e presunto) não devem ser oferecidos antes dos 2 anos.

7) Não oferecer comida para a criança enquanto ela assiste TV. Nenhuma criança deve ver TV mais que duas horas por dia.

André Sobral

Alunos uniformizados da rede municipal de ensino merendando

Sucos e vitaminas servidos para crianças menores de 2 anos não têm adição de açúcar (Ampliar imagem)

Referência em alimentação escolar

Em Vitória, os alimentos oferecidos nas 103 escolas da rede compõem cardápios balanceados e superam a média de necessidades nutricionais recomendada pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

O Programa Municipal de Alimentação Escolar de Vitória é reconhecido internacionalmente como sendo de excelência, por conta de seu cardápio balanceado e variado.

Já foi até motivo de visita de comitivas da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) e do governo da Guiana, que vieram a Vitória conhecer um pouco mais da alimentação da rede municipal de ensino.

Agricultura familiar

Boa parte dos alimentos servidos nas escolas é proveniente da agricultura familiar do Estado, que fornece frutas in natura, hortigranjeiros, laticínios e biscoitos.

"Além de contribuir para uma alimentação mais saudável com o emprego de produtos do campo, sendo parte, inclusive, orgânica, contribuímos também para o desenvolvimento da economia e a sustentabilidade da agricultura", ressaltou Rafael Leite, coordenador de Alimentação e Nutrição Escolar da Gerência de Gestão Educacional da Secretaria Municipal de Educação (Seme).

Equipe

A Coordenação de Alimentação e Nutrição Escolar (CANE) é formada por uma equipe técnica com 10 nutricionistas, que elaboram os cardápios, testam receitas, verificam quantidades e orientam as compras de gêneros alimentícios.

Essas profissionais também são responsáveis pela especificação de padrões de qualidade dos alimentos e das condições sanitárias das instalações, equipamentos e utensílios, prezando pela segurança alimentar nas escolas.

"A equipe também acompanha o processo de produção por parte das merendeiras e a aceitação dos cardápios por parte dos estudantes", destacou Rafael Leite.


Para dúvidas ou informações sobre os serviços da Prefeitura, ligue 156 ou use o serviço on-line.


Voltar para o topo

Prefeitura Municipal de Vitória
Avenida Marechal Mascarenhas de Moraes, 1.927
Bento Ferreira, Vitória, ES - CEP: 29.050-945
Telefone: (27) 3382-6000 (Atendimento ao público de 12h às 19h)
Voltar ao topo do site